• RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
quarta-feira, 24 de agosto de 2016 às 09:41 Postado por Gustavo Jacondino 0 Comments


Uma enfermeira é violentada numa clínica de idosos, e segundo ela o autor teria sido um paciente que sofre do Mal de Alzheimer. Explorando um ambiente banhado em luz e contando com personagens que falham em representar uma ameaça, "O Sanatório da Morte" é um dos mais fracos episódios desta segunda temporada, por pecar em construir um enredo minimamente coerente e por contar com uma resolução fácil, cometendo o mesmo equivoco que "Missão em Perigo", ao tornar Mulder e Scully meros espectadores de um caso pouco interessante que conta com um enredo que se resolve quase que espontaneamente, tornando a presença dos agentes dispensável.

Aqui podemos perceber o segredo que guia grande parte dos episódios bem sucedidos de "Arquivo X": quanto maior o envolvimento dos agentes em relação ao  caso, maior o envolvimentos do público. Vale citar a tentativa de pôr em discussão o estupro e a negligência com os idosos, apesar destas discussões serem infelizmente desenvolvidas de maneira superficial. A questão do abuso da mulher será melhor explorada em "Irresistível", que irei comentar em outro post. A cor verde novamente é integrada de maneira insistente na linguagem visual do episódio, como já fora explorada em muitos outros, reiterando a tentativa de se estabelecer a presença de uma ameaça ligada a elementos sobrenaturais inerentes às tramas do seriado. O comentário que Mulder faz sobre as fitas de vídeo que Scully eventualmente pode encontrar nas gavetas é impagável e sem dúvida o melhor momento do episódio.







Direção: Stephen Surjik

Escrito por: Paul Brown

0 Amantes do cultcomentario até agora.

Postar um comentário