• RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
sexta-feira, 27 de janeiro de 2017 às 11:19 Postado por Gustavo Jacondino 0 Comments




Ao longo da história o ser humano sempre tratou de questões que vão desde a construção do conhecimento, preconceitos e aceitação daquilo que é diferente, disfunções sociais e psicológicas e a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Na esfera individual e coletiva sempre lidamos com as mais variadas formas de conflitos e temos feito progressos. Apesar disso, alguns comportamentos parecem se repetir e encontrar novas formas a cada momento da nossa história. Para isso, as ferramentas de comunicação e expressão que usamos exercem um papel fundamental, seja para nos libertar ou para nos aprisionar. Refletindo a maneira como o ser humano tem se comportado na presença da tecnologia, Black Mirror é uma série criada pelo britânico Charlie Brooker que reflete bem todo o drama presente na história humana no âmbito pessoal e coletivo, buscando num futuro não muito distante refletir sobre o comportamento das pessoas nessa nova realidade.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017 às 10:04 Postado por Gustavo Jacondino 0 Comments


Uma das estratégias usadas por muitos roteiros de cinema ao conceberem seus personagens é torná-los exímios naquilo que se propõe fazer. Se adoramos Hannibal Lecter, não é pelo fato dele ser um assassino frio, mas pelo fato dele ser o melhor assassino que vimos no  cinema, se nos envolvemos com o Neil McCauley de Robert DeNiro em Fogo Contra Fogo, é por sua disciplina e cuidado ao escolher os assaltos que executa e na atenção que este dá aos detalhes que podem dar errado, e em igual peso temos o Vincent Hanna de Al Pacino no mesmo filme, que compartilha com McCauley  as mesmas características, mas dessa vez do outro lado da moeda. Parece mais fácil nos sentirmos envolvidos e entender personagens que são bons naquilo que fazem, seja o que for. Obviamente isso não é regra e muitos filmes que mostram personagem que fracassam ou não são tão espertos muitas vezes são igualmente envolventes (como, por exemplo “O Assassinato de um Presidente”). Porém, neste novo trabalho de Fede Alvarez, que estreara ano passado e que só pude conferir agora, a maneira estúpida com que os personagens são retratados, ao invés de representar um defeito que condene o filme, pelo contrário, é usada com certa inteligência e conveniência por Alvarez, que também assina o roteiro ao lado de Rodo Sayagues.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017 às 08:58 Postado por Gustavo Jacondino 0 Comments


Abaixo segue a lista de filmes assistidos durante o ano de 2016, foram poucos devido à correria do dia-a-dia e por alguns filmes passarem em horários inviáveis para assistir na telona, algo que será compensado em DVD e Blu-Ray. Os filmes possuem cotação de até no máximo 5 estrelas.